Notícias

20 de maio de 2019

As boas práticas continuam sendo semeadas no Projeto Escola no Campo 2019

A 16ª edição iniciou oficialmente neste mês de maio, com a capacitação dos profissionais das escolas. Na próxima semana acontece a apresentação do Projeto aos alunos.   

A parceria entre a Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam) e a Syngenta, continua com toda a força em 2019, através da 16ª edição do Projeto Escola no Campo. A iniciativa que tem apoio da Fundação Abrinq, conscientiza as crianças e adolescentes para as boas práticas voltadas a preservação e cuidados com o meio ambiente de forma saudável, interativa e sustentável. Através da educação, o Projeto integra iniciativas de saúde, segurança alimentar, agricultura entre outras alternativas que, somadas resultam em preservação dos recursos naturais, além de estimular os alunos para se tornarem multiplicadores dos conhecimentos adquiridos durante o aprendizado.

O Projeto com duração de mais de seis meses do ano letivo, conta com a participação ativa dos professores, profissionais responsáveis para afixar conteúdos educativos na grade curricular das séries atendidas. Para começar oficialmente a 16ª edição, aconteceu na última semana (14), a capacitação dos professores que estarão à frente da iniciativa em 2019. Na ocasião eles receberam o regulamento e a apostila do professor, além de participarem das atividades referentes ao propósito do programa.

Os professores estão sempre muito ativos e participativos em cada etapa. “Esse Projeto é importantíssimo aos alunos! O aprendizado vai além da sala de aula, pois, os estudantes replicam seus conhecimentos para os pais, irmãos, vizinhos e assim para a comunidade como um todo. Sem falar no aumento da autoestima das crianças que se sentem úteis e conectados com o meio ambiente. E, para nós professores é uma honra ver nossos alunos sendo transformados em adultos conscientes”, compartilhou a professora Vera Márcia Antunes, participante do Projeto Escola no Campo pela primeira vez. Ela leciona para o 5º Ano da Escola Municipal Nossa Senhora de Lourdes, de Lebon Régis – uma das escolas dos municípios participantes da edição 2019.

A mobilização educacional iniciou há 16 anos na região e o modelo oferecido pela Coocam é referência nacional. Conforme o RTV da Syngenta, Erivelton Zanon, a cooperativa faz um trabalho bastante diferenciado e tem desempenhado um papel fundamental no resultado do Projeto, realizando atividades de bastante qualidade e, isso vem de encontro com os propósitos da Fundação Abrinq e da Syngenta. “Nós como parceiros da Coocam buscamos implementar o Projeto de forma que ele traga os frutos que são esperados juntamente com as escolas”, comentou Zanon.   

A coordenadora do Projeto Escola no Campo, Cristiane Aparecida Moro, lembra que um dos desafios enfrentados no contexto rural é combater o trabalho infantil, para isso, a ação também atua para sensibilizar esse cenário e combatê-lo, promovendo o desenvolvimento sustentável e a valorização da vida no campo. Ela lembra ainda que nesta edição, 491 alunos estarão sendo capacitados para se tornarem Agentes Ambientais. São estudantes de 5ºs e 6ºs Anos, representantes de 15 escolas de 06 municípios da região – Campos Novos, Fraiburgo, Lebon Régis, São Cristovão do Sul, Vargem e Zortéa.

Segundo o presidente da Coocam, João Carlos Di Domenico, o Projeto Escola é um programa que faz com que a cooperativa esteja socialmente ativa lá no campo – local onde está grande parte das pessoas que alimentam o mundo e são elas que precisam desse suporte sobre as melhorias e cuidados com o meio ambiente.  “Continuamos disseminando esse aprendizado através do Projeto Escola no Campo. O programa é extremamente importante para as pessoas e, nós temos condições de transmitir este conhecimento e multiplicá-lo – vivendo em harmonia com a natureza. O campo pode ensinar muito para a cidade e a cidade precisa muito desses bons exemplos vividos no campo”, compartilhou João Carlos reforçando que é possível viver melhor, porém, é preciso sempre dar o primeiro passo.

Etapas do PEC

Cristiane Aparecida Moro, lembra que o Projeto é formado por seis etapas. Iniciado já no mês de janeiro, através do contato junto às secretarias de educação e reuniões internas entre os idealizadores – equipe Coocam e Syngenta. A reunião com os professores é a segunda etapa. O próximo passo começa ainda nesse mês, quando as equipes formadas pelos colaboradores da Coocam e da Syngenta estarão visitando todas as escolas para apresentar o Projeto e assim, as crianças iniciarem as atividades.