Notícias

07 de novembro de 2019

Coocam apresenta case do Projeto Escola no Campo

Durante Seminário realizado pelo Movimento ODS SC, em Campos Novos a coordenador do Projeto, Cristiane Aparecida Moro, falou sobre o trabalho realizado pela cooperativa em parceria com a Syngenta e apoio da Fundação Abrinq.

 

Na noite da última terça-feira (05), o Movimento Nacional Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Santa Catarina (ODS/SC), esteve em Campos Novos, realizando um seminário sobre Desenvolvimento Sustentável. O objetivo do encontro, que teve apoio da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) – através da Associação Empresarial de Campos Novos (Acircan), foi debater sobre a busca de soluções para os negócios, as pessoas e o planeta, por meio de adesão voluntária ao Movimento e ainda, buscar interessados para formação de um comitê local.

Após a apresentação do Movimento e seus objetivos, foram apresentados três cases aplicados na região de Campos Novos. A diretora da AMA, Vera Otonelli Durli, falou sobre o Projeto Estratégias de Captação de Recursos Para Projetos Mais Sustentáveis. O presidente do Instituto Humaniza, Dener Santos de Souza, apresentou a iniciativa cultural Sabe o Lixo? Virou Arte! Já a gerente administrativa da Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam), Cristiane Aparecida Moro, falou sobre o Projeto Escola no Campo, contando a história do programa que acontece há 16 anos.

Cristiane é a coordenadora do Projeto Escola no Campo, iniciativa que contempla escolas dos municípios de abrangência da cooperativa e é realizado em parceria com a Syngenta e apoio da Fundação Abrinq. “Nesses 16 anos percebemos que o Projeto contribuiu muito com o conhecimento das crianças do campo”. Cristiane ressaltou sobre a importância das parcerias entre a escola, família, comunidade, poder público e demais envolvidos, para o sucesso do Projeto. “É uma parceria fortalecedora”.

Regina May de Farias, signatária do Movimento ODS SC, ficou encantado com o Projeto Escola no Campo e reforçou o quanto é preciso educar as crianças para haver sequência desse desenvolvimento sustentável.   “O fantástico é saber que o Projeto está aí há tanto tempo, dando tantos resultados e já trabalhando com as ODS com as crianças. É esse o caminho, educando as crianças vamos mudar e salvar o nosso planeta”, compartilha.

A Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (Fecoagro) é uma das patrocinadoras do Projeto da AMA. “A Fecoagro está conosco no interior do estado, fomentando a qualidade de vida dos catarinenses. Com parcerias é possível colaborar com aqueles que fazem o diferencial e a Fecoagro faz isso muito bem feito”, disse o vice-presidente da Fecoagro e presidente da Coocam, João Carlos Di Domenico. Ele participou do encontro e falou também sobre a iniciativa. “O modelo ODS vem culminar, pois, reúne tudo o que temos de bom em um único programa”, disse João Carlos, completando que através desse modelo é possível “compartilhar as ações, não apenas para as cidades de abrangência, mas, para o mundo”.

Conforme João Carlos, o seminário comprovou quanto é importante agir em prol das boas práticas sustentáveis e ainda, disseminar as ideias para melhorar e abranger mais pessoas e objetivos. Os eventos realizados em diversos municípios catarinenses são direcionados para empresas, organizações e cidadãos em busca de prosperidade econômica, preservação do ecossistema e melhor qualidade de vida das pessoas.

 

ODS SC

O Movimento Nacional ODS SC é constituído por voluntários – pessoas físicas e jurídicas de caráter apartidário, plural e ecumênico, com a finalidade de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade catarinense. Visa cumprir com os compromissos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, aprovada pelos países membros da ONU durante sua 70ª Assembleia Geral realizada em setembro de 2015, em Nova York. Baseado em quatro princípios – equidade, prestação de contas, transparência e responsabilidade – os participantes atuam para a construção de uma sociedade melhor, socialmente inclusiva, ambientalmente sustentável e economicamente equilibrada. Atualmente o Movimento conta com 428 signatários, 9 comitês locais e 45 municípios construindo esta rede.