Notícias

23 de November de 2020

Agrocam encerra plantio da safra de verão 2020/2021 no Mato Grosso

Região do Vale do Araguaia está sendo privilegiada, com clima chuvoso e volumes consideráveis

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a semeadura de soja da safra 2020/21 se manteve acelerada nos últimos dias e, apesar do atraso inicial – devido as condições climáticas – o plantio, no Brasil, já alcançou 69,5% da área estimada. No mesmo período do ano passado (segunda semana de novembro de 2019), a área plantada era de 65,3%.

Na região de atuação da Agropecuária Campos Novos (Agrocam), o plantio da soja já está finalizado e as expectativas para a safra são positivas, especialmente porque as condições climáticas vêm colaborando com os sojicultores do Vale do Araguaia, diferentemente do que está acontecendo na maioria das regiões do Brasil. Já são vários meses de estiagem ou chuvas isoladas. Segundo as meteorologias a situação preocupante deve permanecer até o final deste mês, com previsões de chuvas consideráveis, somente a partir de dezembro.

“Apesar de algumas regiões do Mato Grosso estarem sofrendo com a falta de chuva, assim como também está acontecendo no Sul do país – aqui na região do Vale do Araguaia estamos tendo acumulados significativos de chuva, com precipitações quase todos os dias em volume considerável e isso é um bom sinal para os resultados finais da safra semeada aqui. As lavouras estão se desenvolvendo muito bem”, compartilha Alexandre Alvadi Di Domenico, gerente das lavouras da Agrocam. Ele lembra que o momento é de monitoramento, observando que os efeitos climáticos são fatores determinantes para uma safra cheia.

Nesta safra as áreas de soja, em lavouras da Agrocam, ultrapassam 16 mil hectares. Para a safrinha – pós colheita da soja – estão projetados cerca de 12 mil hectares de milho.

Agrocam  

No estado do Mato Grosso desde 2014, a Agrocam é formada por cinco famílias camponovense – sócias da Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam) – e, juntos plantam quase 20 mil hectares (ha), em fazendas localizadas em Ribeirão Cascalheira – município que iniciaram as atividades e São Felix do Araguaia, no Mato Grosso. Somente na Fazenda Agrovas, são quase 10 mil hectares de lavouras.